quinta-feira, 27 de julho de 2017

Estados Unidos 2-1 Jamaica (Gold Cup 2017, Final)

                     

Estados Unidos enfrentou uma Jamaica que deu tudo de si que usou a força física e velocidades de seus jogadores para dificultar o jogo dos americanos, a seleção do caribe também aproveitou bastante o seus status de azarão na competição sabendo que toda pressão estaria sobre a seleção yankee que soube controlar os nervos e dominar a partida conquistando uma vitória por 2-1 com uma boa performance.

O primeiro tempo foi morno, a seleção jamaicana se defendeu muito bem mas no final do primeiro tempo tomou uma ducha de água fria ao sofrer um magistral gold de falta do Jozy Altidore. No segundo tempo a seleção americana continuo dominado a partida mas cedeu o empate aos 50 minutos, Je-Vaughn Watson marcou o gol dos Reggae Boyz. Tudo indicava que o jogo iria para prorrogação mas no final da partida Jordan Morris marcou o gol da vitória americana e do título da seleção yankee que conquistou a Gold Cup pela sexta vez.

Notas:
Tim Howard: Não teve culpa no gol, fez uma boa partida (7,0).

Graham Zusi: Foi bem defensivamente (7,0).

Matt Besler: Marcou bem (7,5).

Omar González: Fez desarmes importantes (7,5).

Jorge Villafaña: Foi bem pelo lado esquerdo (6,5).

Paul Arriola: Casou problemas para defesa adversária (7,0).

Kellyn Acosta: Teve boa iniciativa no meio-campo (7,0).

Michael Bradley: Foi um dos principais jogadores no meio-campo (7,0).

Darlington Nagbe: Sofreu sete faltas! deu velocidade e criatividade ao time (8,0).

Jozy Altidore: Fez um gol de falta sensacional (8,0).

Jordan Morris: Errou no lance do gol mas se redimiu marcando o gol da vitória (7,5).

Clint Dempsey: Mostrou sua técnica mas não contribui muito para o jogo (6,5).

Gyasi Zardes: Entrou errando alguns passes, mas fez parte da jogada do segundo gol (6,5).

Bruce Arena: Sua equipe jogou com calma e não cometeu equívocos (7,0).

Jamaica: Soube se defender bem e se beneficiou da velocidade e força física de seus jogadores.

Arbitragem: Foi bem.

Curiosidades:

Bruce Arena é o treinador com mais títulos (3) na Gold Cup: 2002, 2005 e 2007.

Seleção americana conquistou o seu sexto título na Gold Cup: 2002. 2005, 2007, 2013 e 2017.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de quatorze jogos com um recorde de nove vitórias e cinco empates.

Foi o primeiro título da Gold Cup da seleção americana desde que Landon Donovan se aposentou.

Seleção americana teve o melhor ataque da competição com treze gols marcados

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Jamaica (Gold Cup 2017, Final)



O momento mais esperado da Gold Cup de 2017 finalmente chegou com uma final inédita entre Estados Unidos e Jamaica. O jogo será realizado no Levi's Stadium em Santa Clara, Califórnia nesta quarta feira dia 26 de julho. A seleção americana tem um bom retrospecto contra os Reggae Boyz com um recorde de quatorze vitórias, nove empates e apenas duas derrotas. Apesar do histórico, as duas seleções só se enfrentaram quatro vezes na Gold Cup com três vitórias para os americanos e uma vitória paras os jamaicanos que aconteceu na semi-final da Gold Cup de 2015.

U.S. Team está invicto na competição com quatro vitórias, um empate, dez gols marcados e três gols sofridos. Jamaica teve mais dificuldades para chega na final com duas vitórias, dois empates, seis gols marcados e dois gols sofridos. Apesar dos números medianos a seleção jamaicana mostrou ser um adversário perigoso eliminado o México na semi-final com uma surpreendente vitória. A seleção americana tem que ter o máximo de concentração possível para não cometer equívocos contra os Reggae Boyz que certamente vão fazer um jogo muito difícil.

Convocados:

Goleiros (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defesas(8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades:

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1988 num empate sem gols.

A maior vitória do confronto foi num amistoso em 2002, os americanos golearam por 5-0.

Em toda história os americanos só perderam duas vezes para Jamaica, ambas sob o comando do Klinsmann.

Jamaica disputa a sua segunda final consecutiva na Gold Cup.

Frank Klopas é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com quatro gols.

Seleção americana está sem sofrem gols em três jogos consecutivos.

Estados Unidos vai disputar a sua décima final na Gold Cup, venceu cinco.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de treze jogos com um recorde de oito vitória e cinco empates.

Doze jogadores da seleção jamaicana jogam nos Estados Unidos.

Seleção americana tem o melhor ataque da competição com dez gols marcados.

domingo, 23 de julho de 2017

Estados Unidos 2x0 Costa Rica (Gold Cup 2017, Semi-Final)



Estados Unidos derrotou Costa Rica por 2-0 no seu primeiro grande teste na competição com uma excelente performance. A seleção americana foi acusada pelos fans e pela mídia por ter dificuldades para vencer seleções com menos tradição mas no duelo pela semi-final contra Los Ticos ficou evidente que mesmo com uma equipe alternativa a seleção americana faz uma grande campanha na Gold Cup de 2017 e pode estar muito perto de conquistar o sexto título na competição.

Os americanos tiveram mais atitude na partida dominado o jogo durante a maior parte do tempo, os gols só saíram no segundo tempo depois da entrada de Clint Dempsey que mudou a trajetória do confronto sendo essencial para vitória dos Estados Unidos sobre Costa Rica. O atacante do Seattle Sounders fez uma assistência para Jozy Altidore abrir o placar para seleção yankee aos 72 minutos. Dez minutos depois Clint Dempsey fez um gol histórico igualando a marca de 57 gols de Landon Donovan e decretando a vitória americana sobre os costa-riquenhos.

Notas:

Tim Howard: Fez um bom jogo, foi muito seguro (8,0).

Graham Zusi: Fez uma partida satisfatória (6,5).

Omar González: Fez algumas faltas desnecessárias (6,5).

Matt Besler: Marcou bem (7,0).

Jorge Villafaña: Não foi bem defensivamente (5,5)

Kelly Acosta: Não foi muito criativo mas segurou bem o meio-campo (7,0).

Michael Bradley: Fez boa distribuição de passes (8,0).

Paul Arriola: Foi esforçado ajudando o time na ataque (7,0).

Darlington Nagbe: Foi muito criativo dando velocidade ao time (8,0).

Jordan Morris: Não foi efetivo (6,0).

Jozy Altidore: Lutou bastante e foi premiado com um gol (7,0).

Clint Dempsey: Fez uma partida magistral sendo o principal jogados dos Estados Unidos (10,0)

Gyasi Zardes e Dax McCarty: Entram no fim do jogo (sem nota)

Bruce Arena: Melhor partida da seleção americana que jogou de forma eficiente (10,0).

Costa Rica: Foi completamente anulada pela boa marcação americana.

Arbitragem: Teve um jogo tranquilo, foi bem.

Curiosidades: 

Estados Unidos e Costa Rica protagonizam um dos duelos mais equilibrados do futebol internacional com um recorde de: 15-15-5 (V-D-E).

Estados Unidos tem o melhor ataque da competição com dez gols marcados em cinco jogos.

Clint Dempsey marcou o seu quinquagésimo sétimo gol pela seleção americana igualando a marca de Landon Donovan.

Jozy Altidore marcou o seu trigésimo oito gol pela seleção americana, ele é o terceiro maior artilheiro do U.S. Team.

Tim Howard fez o seu 41 Shutout em 117 jogos pela seleção americana.

A seleção americana tem uma invencibilidade de treze jogos com um recorde de oito vitórias e cinco empates.

Bruce Arena está invicto desde que assumiu a seleção americana.

Estados Unidos vai disputar a sua décima final na Gold Cup.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Costa Rica (Gold Cup 2017, Semi-Final)


U.S. Team enfrenta a seleção da Costa Rica pela semi-final da Gold Cup de 2017 no AT&T Stadium em Arlington, Texas no sábado dia 22 de julho. Os americanos tem um recorde de quatorze vitória, quinze derrotas e cinco empates contra os costa-riquenho. No último jogo entre as duas equipes a seleção yankee perdeu por 4-0, nos últimos quatro jogos o retrospecto também não é bom para os Estados Unidos que perdeu três e venceu apenas um. Esse retrospecto muda completamnete nos confrontos na Gold Cup, a seleção yankee nunca perdeu para Los Ticos na competição com um recorde de seis vitórias e um empate.

Estados Unidos e Costa Rica estão invictos na Gold Cup 2017, ambos com três vitórias e um empate na competição. Os americanos marcaram oito gols e sofreram três, a seleção da Costa Rica marcou seis gols e sofreeu apenas um. Para chegar a semi-final a seleção yankee derrotou El Salvador por 2-0 nas quartas de final, Los Ticos derrotaram Panamá por 1-0. O vencedor desse jogo enfrenta México ou Jamaica.


Convocados:

Goleiros (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defesas(8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).


Curiosidades: 

Estados Unidos tem o melhor ataque da competição com oito gols em quatro jogos.

A seleção americana tem uma invencibilidade de doze jogos com um recorde de sete vitórias e cinco empates.

As duas seleções se enfrentaram pela primeira vez em 1975, Costa Rica venceu por 3-1.

A maior vitória dos Estados Unidos sobre Costa Rica foi um 4-0 na Copa América Centenário em 2016.

A maior vitória da Costa Rica sobre os Estados Unidos foi um 4-0 nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

Joel Campbell (Costa Rica) é o artilheiro do confronto com cinco gols.

Landon Donovan é o artilheiro dos Estados Unidos com três gols.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Estados Unidos 2x0 El Salvador (Quartas de Final, Gold Cup 2017)


Estados Unidos derrotam El Salvador por 2-0 e se classificam para semi-final da Gold Cup de 2017: A partida começou num ritmo acelerado com a seleção salvadorenha dando alguns sustos no U.S. Team. Aos 15 minutos do primeiro tempo Gyasi Zardes fez boa jogada e marcou um gol que foi anulado de forma equivocada pela arbitragem. Omar González marcou o primeiro gols dos Estados Unidos e segundo na competição aos 41 minutos do primeiro tempo, alguns minutos depois numa boa troca de passes Eric Lichaj marcou o segundo gol dos americanos no jogo. El Salvador chegava ameaçar os Estados Unidos durante o jogo mas sempre falhava no último passe enquanto a seleção americana jogava com certa tranquilidade dominando a partida.

O próximo adversário dos Estados Unidos é a Costa Rica pela semi-final da Gold Cup no sábado dia 22 de julho, a partida será realizada no AT&T Stadium em Arlington, Texas.

Análise do jogo: 

A seleção americana jogou contra uma equipe muita esforçada mas soube controlar a partida dominado o seu adversário se defendendo bem e com um meio-campo que foi muito sólido principalmente com a performance de Michael Bradley que foi o principal responsável pela ligação entre a defesa e o ataque.

Notas:

Tim Howard: Foi muito seguro no jogo (8,0).

Eric Lichaj: Foi muito bem na defesa e marcou um gol (8,5).

Matt Hedges: Fez desarmes importantes (7,0).

Omar González: Marcou um gol e foi atento na defesa (8,5).

Justin Morrow: Errou alguns passes, fez uma partida razoável (6,0).

Michael Bradley: Administrou muito bem o meio-campo (9,0).

Darlington Nagbe: Foi bem na parte tática (7,0).

Paul Arriola: Sempre insistente criou boas jogadas pelo seu lado (7,0).

Gyasi Zardes: Foi bem pelo seu lado, teve um gol anulado injustamente (7,5).

Clint Dempsey: Teve uma boa movimentação no jogo (7,0).

Jozy Altidore: Nervoso, apareceu pouco e só se preocupou em provocar o adversário (3,0).

Jordan Morris: Entrou para dar velocidade ao ataque, apareceu pouco (6,0).

Kellyn Acosta: Entrou para segurar o jogo, deu qualidade ao meio-campo (6,5).

Christian Pontius: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Armou bem a equipe que fez um bom jogo (7,0).

El Salvador: Foi uma equipe criativa mas pecou nas oportunidades perdidas.

Arbitragem: Errou em anular o gol, no restante foi bem.


Curiosidades:

Eric Lichaj marcou o seu primeiro gol pela seleção americana e o 800º gol da Gold Cup.

Bruce Arena tem doze jogos de invencibilidade desde seu retorna na seleção americana com um recorde de sete vitórias e cinco empates.

Seleção americana vai disputar a sua nona semi-final consecutiva na Gold Cup.

Omar González foi o segundo zagueiro americano a marcar dois gols na Gold Cup, o primeiro foi Caros Bocanegra em 2003.

Clint Dempsey é o quarto jogador da seleção americana com mais assistências empatando com Claudio Reyna.

Michael Bradley é o segundo jogador da seleção americana com mais assistências empatando com Cobi Jones.

Clint Dempsey é o terceiro jogador com mais jogos pela seleção americana com 135 partidas.

Michael Bradley é o quarto  jogador com mais jogos pela seleção americana com 134 partidas.

Tim Howard tem 40 clean sheets em 116 jogos.

A defesa marcou quatro dos oito gols feitos pela seleção americana na Gold Cup.

Links:

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/07/estados-unidos-x-el-salvador-quartas-de.html

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-19-us-mens-national-team-vs-el-salvador/recap

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Estados Unidos x El Salvador (Quartas de Final, Gold Cup 2017)




Estados Unidos enfrenta El Salvador pelas quartas de final da Gold Cup 2017 no Lincoln Financial Field, Philadelphia nesta quarta feira dia 19 de julho. A seleção americana nunca perdeu para El Salvador, os americanos têm um recorde de dezessete vitórias e cinco empates. Na Gold Cup foram cinco confrontos todos com vitória da seleção yankee. A última vez que as duas seleções se enfrentaram foi na Gold Cup de 2013, U.S. Team venceu por 5-1.

A seleção americana se classificou em primeiro lugar do Grupo B com um recorde de duas vitórias, um empate com sete gols marcados e três sofridos. El Salvador se classificou como segundo melhor terceiro colocado com um recorde de uma vitória, uma derrota, um empate com quatro gols marcados e quatro sofridos.

O treinador da seleção americana fez seis mudanças na lista dos vinte e três convocados para fase de eliminatórias da Gold Cup. Por regulamentação do torneio, as equipes têm a oportunidade de fazer até seis mudanças na lista nas após 24 horas da conclusão da fase de grupos. Os goleiros Tim Howard e Jesse Gonzalez, os meio-campistas Michael Bradley e Darlington Nagbe e os atacantes Jozy Altidore e Clint Dempsey foram adicionados à lista. Os seis jogadores substituem os goleiros Brad Guzan e Sean Johnson, os meio-campistas Alejandro Bedoya, Cristian Roldan e Kelyn Rowe, e o atacante Dom Dwyer.

Com as mudanças a equipe americana fica mais experiente e ganha mais qualidade no entanto Alejandro Bedoya (Philadelphia Union) e Kelyn Rowe (New England Revolution) mereciam ficar no time, eles foram os melhores jogadores dos Estados Unidos na primeira fase da Gold Cup. A novidade entre os convocados é o goleiro Jesse Gonzalez (FC Dallas) nascido nas Estados Unidos chegou a jogar na seleção mexicana sub-20 e sub-23 mas optou para jogar na seleção principal dos Estados Unidos.


Convocados:

Goalkeepers (3): Jesse Gonzalez (FC Dallas), Bill Hamid (D.C. United), Tim Howard (Colorado Rapids).

Defenders (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca / MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest / ENG), Matt Miazga (Chelsea / ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna / MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Midfielders (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana / MEX), Michael Bradley (Toronto FC), Joe Corona (Club Tijuana / MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Chris Pontius (Philadelphia Union), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Forwards (4): Juan Agudelo (New England Revolution), Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades:

Estados Unidos e El Salvador se enfrentaram pela primeira vez em 1997, os americanos venceram por 2-1.

Estados Unidos golearam El Salvador por 7-0 em 1993, foi a maior vitória dos americanos sobre El Salvador.

Joex Max Moore marcou quatro gols na goleada americana por 7-0 sobre El Salvador em 1993.

Brian McBride é o artilheiro no confronto com sete gols.

Estados Unidos tem uma invencibilidade de onze jogos.

Bruce Arena tem um recorde de seis vitórias e cinco empates desde que assumiu a seleção americana.

Os Estados Unidos tem o melhor ataque da Gold Cup de 2017 com sete gols marcados em três jogos.

sábado, 15 de julho de 2017

Estados Unidos 3x0 Nicarágua (Gold Cup 2017)



Estados Unidos derrotaram Nicarágua por 3-0 e se classificaram em primeiro lugar no Grupo B: Os americanos abriram o placar aos 36 minutos do primeiro tempo depois de uma boa jogada individual de Joe Corona. Kelyn Rowe marcou o segundo gol da seleção yankee na partida após receber um passe de Alejandro Bedoya aos 56 minutos do segundo. No final do jogo aos 88 minutos Matt Miazga marcou o terceiro gol do U.S. Team no jogo e garantiu a vitória americana por 3-0.

Análise do jogo

A seleção americana fez uma partida segura sendo um time criativo mas falhou na concretização podendo ter conquistado um placar mais elástico na partida. A defesa fez uma boa performance conseguindo impedir a maioria dos ataques da seleção da Nicarágua.

Notas: 


Bill Hamid: Fez boas defesas (8,0).

Graham Zusi: Apoiou bem pelo seu lado, fez uma assistência (7,0).

Matt Miazga: Foi bem na defesa e marcou um gol (8,0).

Matt Besler: Marcou bem (7,0).

Jorge Villafaña: Fez um bom jogo (6,5).

Dax McCarty: Foi importante no meio-campo (7,0).

Alejandro Bedoya: Foi o jogador mais criativo da seleção americana, fez duas assistências (9,0).

Kelyn Rowe: Foi bem ofensivamente, marcou um gol (8,0).

Chris Pontius: Foi bem no primeiro tempo (6,5).

Joe Corona: Mostrou personalidade no gol mas perdeu um pênalti (7,0).

Dominic Dwyer: Perdeu muitas chances e um pênalti (5,0).

Juan Agudelo: Deu trabalho para defesa adversária (6,5).

Paul Arriola: Ajudou no ataque (7,0).

Jordan Morris: Deu boa movimentação ao time (6,5).

Bruce Arena: Sua equipe fez um bom jogo sem levar grande sustos (7,0).

Nicarágua: Jogou dentro de suas limitações, o goleiro Justo Lorente foi o destaque do time defendendo dois pênaltis.

Arbitragem: Foi bem no jogo.


Curiosidades:

Matt Miazga e Kelyn Rowe marcaram pela primeira vez pela seleção americana.

U.S. Team tem uma invencibilidade de onze jogos com um recorde de seis vitórias e cinco empates.

Estados Unidos se classificou para fase de eliminatórias da Gold Cup  pela décima terceira vez como líder do grupo.

Bruce Arena está invicto desde seu retorno ao U.S. Team.

Sean Johnson (terceiro goleiro) foi o único jogador dos vinte três convocados que não jogou um jogo na Gold Cup 2017.

Links:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-15-nicaragua-vs-us-mens-national-team/recap

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Estados Unidos x Nicarágua (Gold Cup 2017)




Estados Unidos enfrenta Nicarágua neste sábado no dia 15 de julho no FirstEnergy Stadium – Cleveland, Ohio pelo último jogo da fase de Grupos da Gold Cup. A seleção americana disputa a liderança do Grupo B com Panamá, ambas seleções com uma vitória e um empate mas o U.S. Team esta na frente pelo número de gols marcados. Nicarágua perdeu os dois jogos que disputou e esta praticamente eliminada da Gold Cup 2017.

U.S. Team nos dois primeiros jogos fez uma performance pobre por causa da falta de entrosamento da equipe que tem jogadores jovens com pouco experiencia internacional. O jogo contra Nicarágua é a grande chance da seleção americana ter um bom resultado para ganhar confiança já que a seleção da Nicarágua é a equipe com menos tradição do grupo e tem poucas chances de avançar para próxima fase da Gold Cup 2017.


Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Bill Hamid (D.C. United), Sean Johnson (New York City FC)

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca, MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest, ENG), Matt Miazga (Chelsea, ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meios-Campistas(9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana, MEX), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Joe Corona (Club Tijuana, MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Chris Pontius (Philadelphia Union), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC), Kelyn Rowe (New England Revolution), Gyasi Zardes (LA Galaxy)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Dom Dwyer (Sporting Kansas City), Jordan Morris (Seattle Sounders FC)

Curiosidades

Estados Unidos e Nicarágua se enfrentam pela primeira vez na história.

Segunda participação da Nicarágua na Gold Cup, a primeira foi em 2009.

Com nove jogadores o Real Esteli (Nicarágua) é o clube com mais jogadores na Gold Cup 2017.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Estados Unidos 3x2 Martinica (Gold Cup 2017)




Estados Unidos derrotam Martinica por 3-2 em jogo complicado:
Todos os gols saíram no segundo tempo depois de um primeiro tempo bem morno. A seleção americana saiu na frente aos 54 minutos com Omar González. Jordan Morris marcou o segundo gols dos Estados Unidos na partida. Martinica reagiu e empatou o jogo com dois gols de Kevin Parsemain. Jordan Morris marcou o gol da vitória americano aos 76 minutos do segundo tempo.

O próximo jogo do U.S. Team é contra Nicarágua no dia 15 de julho, os americano lideram o Grupo B com quatro pontos, Panamá esta em segundo também com quatro pontos, Martinica ocupa o terceiro lugar com três pontos e Nicarágua é último colocado do grupo com duas derrotas em dois jogos.

Análise: 

A seleção americana não fez um bom jogo mostrando problemas no ataque que teve dificuldades para superar a marcação de Martinica e na defesa com erros de posicionamento e na marcação principalmente nas laterias. A baixa performance dos Estados Unidos nesses depois primeiros jogos é consequência a falta de entrosamento do time devido as experiencias feita pelo treinador Bruce Arena.

Notas:

Brad Guzan: Fez boas defesas mas errou no primeiro gol (6,5).

Eric Lichaj: Participou do lance de gol mas não foi bem defensivamente (6,5).

Omar González: Foi oportunista em fazer o seu gol mas poderia ter sido melhor na marcação (6,5).

Matt Besler: Falhou na cobertura no segundo gol (6,0).

Justin Morrow: Não fez um bom jogo, falhou na marcação deixando muito espaço na lateral (5,5).

Paul Arriola: Foi esforçando causando problemas para defesa adversária (6,5).

Kellyn Acosta: Só participou do jogo nas bolas paradas (5,0).

Cristian Roldan: Fez uma partida mediana (6,0).

Gyasi Zardes: Foi bem presente no ataque, fez uma assistência (7,0).

Juan Agudelo: Foi pouco efetivo (5,5).

Jordan Morris: Melhor em campo marcou dois gols jogando com garra (8,5).

Alejandro Bedoya: Entrou bem, participou do lance do primeiro gol (7,0).

Chris Pontius: Apareceu pouco no jogo (6,0).

Dax McCarty: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Sua equipe não fez um bom jogo (6,0).

Martinica: Surpreendeu o time americano principalmente nos contra-ataques, Kevin Parsemain e Stephane Abaul foram os principais jogadores da equipe.

Arbitragem: Conduziu bem o jogo.


Curiosidades: 

David Regis que disputou duas Copas do Mundo (1998 e 2002) pela seleção americana nasceu na Martinica.

Foi a primeira vez que Martinica marcou gols nos Estados Unidos.

Com 22 anos Jordan Morris é o segundo jogador mais jovem com dois gols, o primeiro foi Landon Donovan com quatro gols na Gold Cup de 2003.

Cristian Roldan fez a sua estreia internacional.

A seleção americana tem uma invencibilidade de dez jogos com um recorde de cinco vitórias e cinco empates.

Foi a quarta vez em que a seleção yankee sofreu gols de uma equipe caribenha jogando nos Estados Unidos: em 2015 EUA 1x2 Jamaica, em 2009 EUA 2x2 Haiti e em 1996 EUA 3x2 Trinidade.

Links:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-12-us-mens-national-team-vs-martinique/recap

https://en.wikipedia.org/wiki/2017_CONCACAF_Gold_Cup

terça-feira, 11 de julho de 2017

Estados Unidos x Martinica (Gold Cup 2017)



Estados Unidos enfrenta Martinica nesta quarta feira dia 12 de julho de 2017 pela segunda rodada do Grupo B na Gold Cup de 2017 no Raymond James Stadium – Tampa, Florida. As duas seleção se enfrentaram na Gold Cup de 2003, na ocasião os americanos venceram por 2-0 com dois gols de Brian McBride. A seleção yankee empatou com Panamá na sua estreia na competição com uma fraca exibição enquanto Martinica estreou com uma boa vitória sobre Nicarágua por 2-0.

Bruce Arena convocou uma equipe com formada com a maioria de jogadores que jogam na Major League Soccer e com poucos jogos na seleção com a intenção de fazer experiencias na primeira fase da competição. A seleção americana tem uma defesa sólida e tem um meio campo criativo, no no entanto poderia ter mais opções nas laterias e no ataque.

Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Bill Hamid (D.C. United), Sean Johnson (New York City FC)

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca, MEX), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest, ENG), Matt Miazga (Chelsea, ENG), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meios-Campistas(9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana, MEX), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Joe Corona (Club Tijuana, MEX), Dax McCarty (Chicago Fire), Chris Pontius (Philadelphia Union), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC), Kelyn Rowe (New England Revolution), Gyasi Zardes (LA Galaxy)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Dom Dwyer (Sporting Kansas City), Jordan Morris (Seattle Sounders FC)

Curiosidade: David Regis que disputou duas Copas do Mundo (1998 e 2002) pela seleção americana nasceu na Martinica.

sábado, 8 de julho de 2017

Estados Unidos 1x1 Panamá (Gold Cup)



Seleção americana empata com Panamá na estreia da Gold Cup: O primeiro tempo as duas seleção ficaram no 0-0 num jogo muito travado, os jogadores sentirem dificuldades devido a alta temperatura. No segundo tempo o jogo mudou completamente e passou a ser mais aberto, numa jogada magistral de Kelyn Rowe os Estados Unidos abriram o placar com Dom Dwyer aos 50 minutos do segundo tempo. Não demorou muito para os panamenhos empatarem a partida, aos 60 minutos do segundo tempo depois de um rebote Miguel Camargo marcou o gol de empate do Panamá.

O próximo jogo da seleção yankee é contra Martinica (que faz a sua quinta participação na Gold Cup) no dia 12 de julho enquanto Panamá enfrenta a seleção da Nicarágua (que faz a sua segunda participação na Gold Cup) também no dia 12. Martinica e Nicarágua fecham a primeira rodada pelo Grupo B.

Análise do jogo

Estados Unidos não fez um bom jogo apresentando problemas para quebrar a marcação do adversário e cometendo erros na defesa. O empate pode ser considerado desapontante pelo torcedores mas Panamá sempre faz um jogo duro com a seleção americana e a alta temperatura também influenciou muito no desempenho de ambos os times na partida.


Nota:

Brad Guzan: Fez pelo menos três grandes defesas, não teve culpa no gol (8,0).

Graham Zusi: Foi inseguro na defesa e na cobertura (5,5).

Omar González: Não foi bem na marcação (6,0).

Matt Besler: Errou na saída de bola (6,0).

Jorge Flores Villafaña: Criou algumas jogadas pela esquerda mas não marcou bem (6,5).

Dax McCarty: Marcou bem no meio-campo (6,5).

Kellyn Acosta: Foi bem na marcação e participou de algumas jogadas (6,5)

Alejandro Bedoya: Fez um ótimo jogo criando jogadas e participando na marcação (8,0).

Joe Corona: Fez uma má partida sendo pouco criativo e errando passes (5,5).

Kelyn Rowe: Foi um dos jogadores mais esforçados, deu o passes do gol (8,5).

Dom Dwyer: Foi oportunista no lance do gol (7,5).

Juan Agudelo: Pouco acrescentou (6,0).

Gyasi Zardes: Claramente fora de ritmo (5,5).

Jordan Morris: Entrou no fim, pouco pode fazer (6,0).

Bruce Arena: Não escolheu a melhor formação para o jogo, errou nas substituições (5,5).

Panamá: Fez um jogo sólido principalmente na marcação no meio-campo.

Arbitragem: Fez um jogo tranquilo.


Curiosidades: 

Primeiro gol de Dom Dwyer na Gold Cup e segundo consecutivo pela seleção americana.

Primeira assistência de Kelyn Rowe na seleção americana.

Estados Unidos marcou em dezenove jogos consecutivos na Gold Cup.

Nashville, Tennessee bateu recorde de público numa partida de futebol com 47,622 torcedores.

Quinto empate entre as duas equipe.

Recorde dos Estados Unidos na fase de grupos da Gold Cup: 30 vitórias, 1 derrota e 4 empates.

Nashville tem planos de ter uma franquia na Major League Soccer.

Bruce Arena está invicto desde o seu retorno na seleção americana com um recorde de quatro vitórias e cinco empates.

Link:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-08-us-mens-national-team-vs-panama/stats

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Estados Unidos vs. Panamá (Gold Cup 2017)



Estados Unidos enfrenta Panamá na sua estreia na Gold Cup 2017 pelo Grupo B no sábado dia 8 de julho no Nissan Stadium, Nashville. A seleção americana derrotou Gana por 2-1 em partida amistosa como preparação para a Gold Cup e está invicta a oito jogos. As duas equipes se enfrentaram doze vezes, os americanos tem um recorde de doze vitórias, quatro empates e duas derrotas. Outros participantes do Grupo B são: Nicarágua e Martinique.

Bruce Arena convocou um equipe mista formada por sua grande maioria com jogadores da Major League Soccer e com jogadores com poucos jogos na seleção. O setor mais forte da equipe yankee que vai disputar a Gold Cup de 2017 são os zagueiros que formam uma defesa muito sólida. No meio campo também tem boas opções que tornam a seleção americana um time criativo no entanto o ataque poderia ter mais opções, por exemplo Christian Ramirez que com certeza iria acrescentar algo ao time.


Convocados

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC; 55/0), Bill Hamid (D.C. United; 2/0), Sean Johnson (New York City FC; 5/0)

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City; 40/1), Omar Gonzalez (Pachuca/MEX; 40/1), Matt Hedges (FC Dallas; 3/0), Eric Lichaj (Nottingham Forest/ENG; 11/0), Matt Miazga (Chelsea/ENG; 2/0), Justin Morrow (Toronto FC/CAN; 1/0), Jorge Villafaña (Santos Laguna, MEX; 7/0), Graham Zusi (Sporting Kansas City; 49/5)

Meio-Campistas(9): Kellyn Acosta (FC Dallas; 9/1), Paul Arriola (Club Tijuana/MEX; 6/2), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union; 61/2), Joe Corona (Club Tijuana/MEX; 18/2), Dax McCarty (Chicago Fire; 7/0), Chris Pontius (Philadelphia Union; 2/0), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC; 0/0), Kelyn Rowe (New England Revolution; 1/0), Gyasi Zardes (LA Galaxy; 32/6)

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution; 23/3), Dom Dwyer (Sporting Kansas City; 1/1), Jordan Morris (Seattle Sounders FC; 16/2)

Ranque das ligas

1.Major League Soccer; 16
2.Liga MX: 4
3.Premier League e EFL Championship 1

Notas:
Bruce Arena está invicto na seleção americana desde que assumiu a seleção americana em novembro de 2016 com um recorde de quatro vitórias e quatro empates.

Kenny Saief foi cortado por lesão, Chris Pontius foi convocado para substitui-lo.


Curiosidades:

Estados Unidos derrotou Panamá na final da Gold Cup de 2005.

Estados Unidos e Panamá se enfrentaram pela primeira vez na Gold Cup de 1993, os americanos venceram por 2a1.

A maior vitória dos Estados Unidos contra Panamá aconteceu em 2004 pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 2006, os americanos venceram os panamenhos por 6a0.

Eric Wynalda marcou o primeiro gol pelo Estados Unidos no confronto contra Panamá.

Bruce Arena é o único treinador com dois títulos (2002 e 2005) na Gold Cup na Era moderna na competição.

Panamá derrotou os Estados Unidos nos pênaltis na edição de 2015.

Estados Unidos tem um recorde de 30 vitórias, 1 derrota e 3 empates em todas edições na fase de grupos da Gold Cup. A única derrota foi contra Panamá na edição de 2011.

domingo, 2 de julho de 2017

Estados Unidos 2x1 Gana (Amistoso)


         
Estados Unidos derrotaram Gana por 2-1 no amistoso disputado neste sábado dia 30 de junho de 2017. Seleção Yankee abriu o placar aos 19 minutos do primeiro tempo com o estreante Dom Dwyer que aproveitou a jogada de Joe Corona e Jorge Villafaña. Gana teve a chance de empatar o jogo no final do primeiro tempo num pênalti cometido por Jorge Villafaña mas Brad Guzan defendeu a cobrança batida por Asamoah Gyan. Aos 52 minutos do segundo tempo Kellyn Acosta marcou um bonito gol de falta abrindo uma vantagem de dois gols sobre  seleção ganesa. Gana descontou num golaço de falta marcado por Asamoah Gyan aos 60 minutos do segundo tempo.

Análise 

U.S. Team fez um jogo seguro conquistando uma vitória sólida numa boa performance da equipe americana que trabalhou bem com a posse de bola trocando passes e criando boas jogadas. Na parte defensiva a seleção americana também foi bem, Matt Besler e Matt Hedges provaram ser uma boa dupla de zaga. A marcação dos Estados Unidos no campo do adversário surtiu muito efeito anulando a saída de bola da seleção ganesa.

Notas:

Brad Guzan: Fez uma grande partida e defendeu  um pênalti. Não teve culpa no gol (8,5).

Graham Zusi: Apoio bem pelo lado direito ajudando na criação de jogadas mas falho na cobertura devido ao cansaço. (7,0).

Matt Besler: Foi muito seguro e fez cortes importantes (8,5).

Matt Hedges: Foi muito bem na marcação (8,5).

Jorge Villafaña: Esteve envolvido no lance do gol mas fez um pênalti e faltas desnecessárias (6,5).

Kelyn Rowe: Fez um bom jogo (7,0).

Kellyn Acosta: Fez um gol com muita classe e participou bastante no meio campo (9,0).

 Dax McCarty: Marcou bem pelo meio (7,0).

Paul Ariolla: Ajudou na criação de jogadas (7,5).

Joe Carona: Foi um dos principais armadores da seleção americana, sofreu muitas faltas também (8,0).

Dom Dwyer: Marcou na sua estreia, jogou bem (8,5).

Gyasi Zardes: Não foi criativo, esteve ausente no jogo (5,5).

Kenny Saief: Teve poucas chances de fazer algo na partida mas entrou motivado (6,5).

Alejandro Bedoya: Entrou para manter a posse de bola no meio-campo (6,5).

Jordan Morris: Entrou com vontade, quase marcou um gol (7,0).

Omar González: Entrou no fim (sem nota).

Bruce Arena: Montou bem sua equipe que fez um bom jogo (8,0).

Gana: Foi vencida pela marcação americana, ensaiou algo com a velocidade de seus jogadores. Asamoah Gyan foi o jogador mais lúcido.

Arbitragem: Acertou todos os lance num jogo com muitas faltas técnicas.

Curiosidades: 

Dom Dwyer marcou um gol na sua estreia internacional.

Kelyn Rowe fez a sua estreia internacional.

Kellyn Acosta marcou o seu primeiro gol pela seleção americana.

Confrontos: EUA 1-2 Gana (Copa do Mundo 2006), Gana 2-1 EUA (Copa do Mundo de 2010), EUA 2-1 Gana (Copa do Mundo de 2014) e EUA 2-1 Gana (amistoso 2017).

Bruce Arena está invicto na seleção americana desde que assumiu a seleção americana em novembro de 2016 com um recorde de quatro vitórias e quatro empates.


Nota: Foi feito um minuto de silêncio em homenagem a Tony DiCiccio ex treinador campeão da Copa do Mundo de futebol feminino de 1999 e medalhista de ouro em 1996 pela seleção feminina de futebol dos Estados Unidos que faleceu no dia 19 de junho de 2017.


Links:

https://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-07-01-us-mens-national-team-vs-ghana/details/video/109112

terça-feira, 27 de junho de 2017

Estados Unidos x Gana (amistoso)



Estados Unidos enfrenta Gana em partida amistosa neste sábado no dia 1 de julho para se preparar para Gold Cup de 2017 que terá o seu início no dia 7 de julho, o jogo será realizado no Pratt & Whitney Stadium at Rentschler Field. Gana é o algoz dos Estados Unidos no futebol internacional ambas as equipes protagonizaram duelos notáveis como na Copa do Mundo de 2006 e 2010 ambos com vitórias ganesas e na Copa do Mundo de 2014 com vitória americana.

O treinador da seleção americana Bruce Arena montou uma equipe mista para o amistoso contra Gana que será a mesma que ira disputar a Gold Cup de 2017. Estados Unidos tem algumas novidades nesta convocação como o atacante do inglês naturalizado americano Dom Dwyer, Cristian Roldan que é destaque do Seattle Sounders, Kelyn Rowe que é um jovem com muito potencial e Kenny Saief (K.A.A. Gent, Jupiler Pro League) que nasceu nos Estados Unidos mas jogou dois jogos por Israel e recentemente optou por jogar pela seleção dos Estados Unidos.


Convocados:

Goleiros (3): Brad Guzan (Atlanta United FC), Bill Hamid (D.C. United), Sean Johnson (New York City FC).

Defesas (8): Matt Besler (Sporting Kansas City), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Eric Lichaj (Nottingham Forest), Matt Miazga (Chelsea), Justin Morrow (Toronto FC), Jorge Villafaña (Santos Laguna), Graham Zusi (Sporting Kansas City).

Meio-Campistas (9): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Joe Corona (Club Tijuana), Dax McCarty (Chicago Fire), Cristian Roldan (Seattle Sounders FC), Kelyn Rowe (New England Revolution), Kenny Saief), Gyasi Zardes (LA Galaxy).

Atacantes (3): Juan Agudelo (New England Revolution), Dom Dwyer (Sporting Kansas City), Jordan Morris (Seattle Sounders FC).

Curiosidades : 

Kenny Saief foi o segundo jogador americano que jogou na seleção de Israel.

Landon Donovan foi o primeiro americano a marcar um gol em Gana.

Estados Unidos e Gana se enfrentaram pela primeira vez em 1983 pela Presidents Cup, seleção ganesa venceu por 5-0.

Os dezesseis jogadores convocados da Major League Soccer estão representando onze times da liga.

Cristian Roldan é elegível para jogar na seleção da Guatemala e de El Salvador.

Ranque das ligas

1.Major League Soccer; 16
2.Liga MX: 4
3.Premier League, EFL Championship e Jupiler Pro League: 1

terça-feira, 20 de junho de 2017

Christian Pulisic, O Novo Capitão América


Desde aposentadoria prematura de Landon Donovan graças ao controverso treinador Jurgen Klinsmann a seleção americana passou por muitas dificuldades com resultados inconsistentes, fracas exibições na Gold Cup de 2015 e nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018. Apesar dos Estados Unidos terem bons jogadores a sua disposição nenhum conseguiu ter o mesmo protagonismo que Landon Donovan que foi o jogador mais criativo, decisivo e o líder da seleção americana por mais de uma década.

Nesse período surgiu uma réstia de esperança para o U.S. Team, Christian Pulisic um jovem jogador do Borussia Dortmund que disputa a Bundesliga. Muitos jogadores americanos se destacaram na principal liga da Alemanha e não foi diferente com Christian Pulisic que teve sucesso imediato se tornando o estrangeiro mais jovem a marcar dois gols na primeira divisão alemã e sendo um dos principais jogadores do Borussia Dortmund.

A questão que surgiu era quando lançar o jovem promissor na seleção, se ele era muito novo para jogar na seleção principal e qual seria a melhor maneira de preservá-lo para não repetir erros do passado. Todas essas dúvidas foram respondias nas primeiras exibições de Christian Pulisic que quebrou recordes se tornando o jogador mais jovem a marcar um gol pelo Estados Unidos na Era moderna.

O jovem fenômeno mostrou todo seu potencial a cada jogo pela seleção americana impressionando torcedores e jornalistas por sua técnica e versatilidade. Consequentemente as comparações com Landon Donovan foram feitas. Donovan assim como Pulisic surgiu muito jovem no futebol internacional se destacando na Copa do Mundo Sub-17 de 1999 e em 2000 na seleção principal estreou marcando um gol contra o México num amistoso provando que ele era um jogador diferenciado.

Ainda é cedo para dizer qual é até onde que Christian Pulisic pode chegar mas ele é tudo o que a seleção americana precisa, ele é o único jogador que tem o mesmo status ou se preferir da mesma pratilheira que Landon Donovan, ambos tem um estilo de jogo parecido com muita velocidade, técnica, versatilidade e objetividade ou seja, Christian Pulisic tem tudo para ser o novo Capitão América da seleção yankee.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Estados Unidos 1x1 México (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Com gol magistral de Michael Braldey Estados Unidos empata com México no temido Estádio Azteca. O jogo começou disputado, México teve a maior posse de bola durante todo o jogo mas mesmo com o domínio a partida era muito equilibrada. A seleção yankee abriu o placar num erro de saída de bola dos mexicanos aos 6 minutos do primeiro tempo, Michael Bradley com muita categoria encobrindo o goleiro Ochoa, México empatou aos 23 minutos com Carlos Vela.

México continua liderando o Hexagonal Final da CONCACAF com 14 pontos em seis jogos com quatro vitórias e dois empates. Os Estados Unidos estão em terceiro lugar com duas vitórias, três empates e duas derrotas com 8 pontos mas com um jogo amais que Costa Rica que está em segundo lugar com 8 pontos e Panamá que está em terceiro com 6 pontos. Próximo adversário dos Estados Unidos no Hexagonal Final é a Costa Rica, jogo em casa no dia 1 de setembro.

Análise

Estados Unidos fez um jogo excelente com destaque na ótima performance da defesa que marcou e se posicionou muito bem impedindo os ataques da seleção mexicana. A seleção americana também foi muito organizada e chegou com perigo ao ataque mesmo com a boa marcação dos mexicanos. Bruce Arena faz um trabalho muito bom no seu retorno ao U.S. Team, ele consertou todas falhas do ex treinador Jurgen Klinsmann.


Notas 

Brad Guzan : Não teve culpa no gol (6,5).

Omar González : Fez um jogo muito seguro (8,0).

Geoff Cameron : Foi muito bem na marcação (10,0).

Tim Ream : Fez um bom jogo na defesa (8,0).

DeAndre Yedlin: Apoio bem e defendeu pelo seu lado (7,5)

DaMarcus Beasley : Foi esforçado (7,0)

Michael Bradley : Organizou bem o meio-campo e fez um golaço (10,0)

Kellyn Acosta : Foi bem na marcação pelo meio (7,0).

Christian Pulisic : Mesmo muito marcado conseguiu mostra sua habilidade (7,0)

Bobby Wood : Teve dificuldades no ataque (6,5).

Paul Arriola : Fez um bom jogo, ajudou na marcação (7,0).

Darlington Nagbe : Apareceu pouco (6,5)

Jozy Altidore : Entrou no fim, pouco fez (6,0).

Graham Zusi : Entrou no fim, sem nota.

Bruce Arena : Fez uma boa formação, sua equipe fez um bom jogo (8,0).

México : Foi vencido pela boa marcação americana.

Arbitragem : Acompanhou todos os lances de perto, foi bem.

Curiosidades :

Michael Bradley é o sétimo americano a marcar um gol contra o México no Estádio Azteca, outros foram : Willy Roy, Rick Davis, Eddie Lewis, Charlie Davies e Michael Orozco Fiscal.

Michael Bradley marcou o seu quinto gol contra o México se tornando o segundo jogador americano com mais gols no confronto : 1.Landon Donovan 6 gols, Michael Braldey 5 gols e Aldo Donelli 4 gols.

Estados Unidos está invicto no Estádio Azteca a três jogos.

Willy Roy foi o primeiro jogador a marcar um gol no México no Estádio Azteca em jogos válidos pela eliminatórias.

Aldo Donelli marcou quatro gols pelo Estados Unidos contra o México em 1934, ele é o jogador americano que fez mais gols pela seleção americana em um jogo contra a seleção mexicana.

Link relacionado :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/06/estados-unidos-vs-mexico-eliminatorias.html

sábado, 10 de junho de 2017

Estados Unidos vs México (Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos enfrenta o México no dia 11 de julho no Estadio Azteca, Mexico City pela sexta rodada do Hexagonal Final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo da Rússia de 2018. A seleção yankee e a seleção mexicana protagonizam uma das maiores rivalidades do futebol internacional, as duas equipes já se enfrentaram 69 vezes, os americanos tem um recorde de 19 vitórias, 13 empates e 37 derrotas. Desde 2000 o retrospecto melhorou para U.S. Team que tem um recorde de 13 vitórias, 5 empates e 7 derrotas. O emblemático Estadio Azteca é um dos cenários mais complicados para a os Estados Unidos que tem um recorde de 1 vitória, 8 derrotas e 2 empates no lendário estádio, México tem uma impressionante performance com 42 vitórias, 2 derrotas e 7 empates. Altitude, calor e atmosférica são os fatores que tornam a Azteca um dos mais estádios mais difíceis de se jogar no mundo.

México lidera o Hexagonal Final da CONCACAF com treze pontos com quatro vitórias e um empate enquanto os Estados Unidos ocupam a terceira posição com duas vitórias, um empate e duas derrotas. A seleção americana precisa conquistar pelo menos um empate contra o México para ficar numa posição segura no Hexagonal Final.

Análise da Convocação

Christian Pulisic a cada jogo mostra todo o seu potencial, ele lembra muito Landon Donovan que era o jogador mais criativo e objetivo dos Estados Unidos, a jovem promessa do Borussia Dortmund tem esse status que é tudo o que a seleção americana precisa. Os Estados Unidos tem um meio campo sólido que pode ser formado com Michael Bradley, Christian Pulisic, Fabian Johnson e Darlington Nagbe . A defesa é muito segura com Tim Howard no gol, Jorge Villafaña e DeAndre Yedlin na lateral e a dupla de zaga com Geoff Cameron e John Brooks. No ataque o time precisa de velocidade, Bobby Wood pode jogar como segundo atacante e Jozy Altidore como atacante.

Convocados

Goleiros (4): Brad Guzan (Atlanta United FC), Ethan Horvath (Club Brugge), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defesas (11): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), John Brooks (Hertha Berlin), Geoff Cameron (Stoke City),Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund)

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Bobby Wood (Hamburg/GER)


Curiosidades

Estados Unidos venceu México jogando no Estádio Azteca uma vez numa partida amistosa em 2012, Michael Orozco Fiscal foi o autor do gol.

Landon Donovan é o artilheiro dos Estados Unidos no confronto com seis gols.

Aldo Donelli marcou quatro gols pelo Estados Unidos contra o México em 1934, ele é o jogador americano que fez mais gols pela seleção americana em um jogo contra a seleção mexicana.

Willy Roy foi o primeiro jogador a marcar um gol no México no Estádio Azteca em jogos válidos pela eliminatórias.

Cinco jogadores marcaram um gol no México no Estádio Azteca, são eles : Willy Roy, Rick Davis, Eddie Lewis, Charlie Davies e Michael Orozco Fiscal.

Os Estados Unidos conquistou o seu primeiro ponto em eliminatórias para Copa do Mundo em 1997 quando empatou com México por 0a0.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Estados Unidos 2x0 Trinidade e Tobago (Eliminatória para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos conquistou uma vitória importante derrotando Trinidade e Tobago por 2a0 no estádio Dick's Sporting Goods Park pela quinta rodada do Hexagonal Final da CONCACAF. A seleção americana começou bem o jogo pressionado a seleção caribenha no primeiro tempo mas foi incapaz de fazer um gol graças a boa atuação da defesa de Trinidade e Tobago. No segundo tempo os americanos foram mais objetivos conseguindo marcar o primeiro gol da partida aos 52 minutos com Christian Pulisic em boa jogada com Darlington Nagbe e DeAndre Yedlin. Dez minutos depois Christian Plusic fez o seu segundo gol concretizando a vitória dos Estados Unidos sobre Trinidade e Tobago.

Análise da partida

A seleção americana fez um jogo seguro, se defendeu bem e dominou o jogo por completo mas poderia ter sido mais objetiva. Os yankees só conseguiram essa vitória graças ao destaque individual de Christian Pulisic que marcou dois gols e foi o jogador mais criativo do time, ele lembra muito o ex jogador da seleção americana Landon Donovan que por muitas vezes além ser de ser o jogador criativo era o mais objetivo também.

Classificação 

Estados Unidos está com sete pontos em cinco jogos com duas vitórias, um empate e duas derrotas. O próximo jogo da seleção yankee é contra o México que lidera o Hexagonal Final da CONCACAF no dia 11 de junho de 2018.


Notas 

Tim Howard : Não foi exigido (7,0).

DeAndre Yedlin : Fez um bom jogo com uma assistência (7,0).

Geoff Cameron : Esteve atento na marcação (7,0).

John Brooks ; Fez um bom jogo na defesa (7,5).

Jorge Flores Villafaña : Foi bem pelo lado esquerdo (6,5)

Darlington Nagbe : Criou boas jogadas pelo seu lado (8,0).

Michael Bradley : Fez bons desarmes, administrou bem o meio-campo (7,5).

Christian Pulisic : Fez um jogo excelente criando jogadas e marcando dois gols (10,0)

Fabian Johnson : Ajudou o time na criação de jogadas (6,5).

Clint Dempsey : Teve uma atuação apagada (5,5).

Jozy Altidore : Lutou bastante (6,5)

Kelly Acosta : Entrou bem, foi boa opção nas bolas paradas (6,5).

Alejandro Bedoya : Entrou para manter a posse de bola e ajudar na marcação, ganhou um cartão amarelo (6,0).

Bobby Wood : Entrou no fim mas quase deixou o seu (6,5).

Bruce Arena : Armou bem o time, ganhou por causa do destaque individual de Pulisic (7,0).

Trinidade e Tobago : Foi anulada pela seleção americana.

Arbitragem : Teve um jogo fácil sem polêmicas.

Curiosidades 

Estados Unidos não leva um gol de Trinidade e Tobago desde 2008.

A seleção americana mantém a sua invencibilidade contra Trinidade e Tobago jogando nos Estados Unidos.

Links relacionados :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/06/estados-unidos-x-trinidade-e-tobago.html

terça-feira, 6 de junho de 2017

Estados Unidos x Trinidade e Tobago (Eliminatória para Copa do Mundo de 2018)



Estados Unidos enfrenta Trinidade e Tobago pela quinta rodada do Hexagonal final da CONCACAF pela eliminatórias para Copa do Mundo da Rússia de 2018 nesta quinta dia 8 de junho no estádio Dick's Sporting Goods Park, Commerce City. As duas equipes já se enfrentaram por vinte e quatro vezes, a seleção yankee tem um recorde de dezessete vitórias, quatro empates e três derrotas.

A seleção americana ocupa a quarta colocação no Hexagonal com uma vitória, um empate e duas derrotas. Trinidade e Tobago está em último lugar com três pontos com uma vitória e três derrotas. Os Estados Unidos precisam vencer para garantir uma melhor posição no Hezagonal para a classificação para Copa do Mundo.

A lista de convocados tem bons nomes com exceção de Nick Rimando ou Graham Zusi que poderia ser substituídos por Bill Hamid ou Daniel Williams outra ausência é Christian Ramirez que fez oito gols nesta temporada da Major League Soccer. Christian Pulisic tem provado o eu valor a cada jogo e tem potencial para ser o principal armador do time por suas habilidades.

Convocados

Goleiros (4): Brad Guzan (Atlanta United FC), Ethan Horvath (Club Brugge), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defesas (11): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), John Brooks (Hertha Berlin), Geoff Cameron (Stoke City),Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund)

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Bobby Wood (Hamburg/GER)


Curiosidades

No dia 19 de Novembro de 1989, cerca de 35 mil torcedores estavam no estádio em Port-of-Spain para apoiar a seleção de Trinidade e Tobago, aos 31 minutos aconteceria um dos gols mais mitológicos da historia do futebol dos Estados Unidos quando Tab Ramos tocou para Paul Caligiuri que driblou o zagueiro e surpreendeu o goleiro de Trinidade e Tobago com um chute de 25 metros com o pé esquerdo, o gol ficou conhecido como ´´ Shot Heard Round the World ´´ e classificou os americanos para Copa do Mundo depois de uma espera de 40 anos.

Jozy Altidore é o artilheiro da seleção americana no confronto com cinco gols.

A seleção americana nunca perdeu para Trinidade e Tobago jogando nos Estados Unidos.

domingo, 4 de junho de 2017

Estados Unidos 1x1 Venezuela (amistoso)



A partida começou movimentada com ambas as equipes trocando passes e buscando jogo. Venezuela abriu o placar com José Manuel Velázquez depois de um erro da defesa americana. Com o gol a seleção venezuelana cresceu no jogo criando mais chances de gol mas Tim Howard fez boas defesas impedindo o segundo gol dos venezuelanos. No segundo tempo os americanos empataram aos 61 minutos com Christian Pulisic. Com algumas substituições a seleção americana mudou de postura e atacou mais, principalmente com Jordan Morris. O jogo terminou empatado pela placar de 1a1, o próximo adversário da seleção americana é Trinidade e Tobago pela quinta rodada do Hexagonal da CONCACAF nas eliminatórias para Copa do Mundo de 2018.

Análise 

Bruce Arena montou bem o seu time com a formação 4-4-2, porém a seleção americana foi surpreendida pela velocidade e intensidade dos venezuelanos que poderiam ter vencido o jogo se não fosse Tim Howard. No segundo tempo aos americanos melhoram criando mais chances de gol aproveitando a velocidade dos pontas e trocando passes.


Notas : 

Tim Howard : Fez grandes defesas (8,5).

DeAndre Yedlin : Correu muito pelo lado direito mas poderia ter sido mais objetivo (6,5).

John Brooks : Falhou no lance do gol (5,0).

Geoff Cameron : Falhou na marcação no lance do gol (5,0)

Jorge Flores Villafaña : Foi bem pelo lado esquerdo (6,0)

Michael Bradley : Errou alguns passes mas fez bem sua função (6,0).

Fabian Johnson : Parecia um pouco perdido mas melhorou durante a partida dando o passe do gol (6,5).

Darlington Nagbe : Correu muito, ajudou na criação de jogadas (7,0).

Christian Pulisic : Foi o melhor do time, ajudou na criação de jogadas e fez um bonito gol (8,0).

Clint Dempsey : Lutou bastante (6,5).

Bobby Wood : Fez boa movimentação no ataque (6,5)

Omar González : Foi um pouco lento na marcação (6,0).

Matt Hedges : Entrou bem, foi atento nos lances (7,0).

Kellyn Acosta : Poderia ter sido melhor na criação (6,5)

Tim Ream : Foi bem na marcação (7,0)

Jordan Morris : Entrou disposto particpando dos ataques (6,5)

Bruce Arena : Gostei de sua formação, a seleção americana fez um bom jogo contra uma equipe desvalorizada injustamente por muitos (7,0)

Venezuela : Fez um bom jogo com um futebol bem intensivo.

Arbitragem : Não teve problema num jogo fácil.

Curiosidades :

Venezuela não marcava um gol nos Estados Unidos desde 1993.

Estados Unidos mantém sua invencibilidade contra os venezuelanos com um recorde de três vitórias e dois empates.

A seleção americana nunca perdeu jogando em Utah com um recorde de cinco vitórias em cinco jogos.

links relacionados :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2017/05/estados-unidos-vs-venezuela-amistoso.html


sexta-feira, 2 de junho de 2017

Major League Soccer All-Star Game 2017




No dia 2 de agosto de 2017 será realizada a décima segunda edição do All Star Game da Major League Soccer, o time das estrelas da MLS vai enfrentar o Real Madrid no Soldier Field, Chicago, Illinois que sediara o evento pela primeira vez na história.

A equipe será formada por vinte quatro jogadores, onze escolhidos pelo público numa votação pelo aplicativo da Major League Soccer, dois pelo comissário Don Garber e o restante pelo treinador Veljko Paunovic que treina o Chicago Fire.

Em outras edições a equipe das estrelas Major League Soccer enfrentou times estrangeiras como Arsenal, Chelsea, Everton, Fulham, Manchester United, Tottenham Hotspur, West Ham United, Bayern Munich, Roma, Chivas Guadalajara e Celtic. O jogo contra o Real Madrid marca o primeiro confronto do time das estrelas da MLS contra uma equipe da La Liga.

Curiosamente não vai ser o primeiro encontro da Major League Soccer com o Real Madrid, em 2005 um selecionado da Major League Soccer enfrentou a equipe espanhola pelo Trofeo Santiago Bernabéu. Os Merengues ganharam por 5a0 com gols de Beckham, Ronaldo duas vezes, Guti e Raúl. Apesar da derrota elástica MLS tinha um bom time mas teve pouco tempo para se acostumar com o fuso horário e para fazer treinamentos.


MLS All Stars jogadores 2017


Goleiros (2)

Stefan Frei (EUA/Suíça, Seattle Sounders FC)
Tim Howard (EUA, Colorado Rapids)

Defesas (8)

DeMarcus Beasley (EUA, Houston Dynamo)
Greg Garza (EUA, Atlanta United)
Graham Zusi (EUA, Sporting Kansas City)
Hernán Grana (Argentina, FC Dallas)
Matt Hedges (EUA, FC Dallas)
Johan Kappelhof (Holanda, Chicago Fire)
Michael Parkhurst (EUA, Atlanta United)
Jelle Van Damme (Bélgica, LA Galaxy)


Meio-Campistas (9)

Kellyn Acosta* (EUA, FC Dallas)
Miguel Almirón (Paraguai, Atlanta United)
Michael Bradley (EUA, Toronto FC)
Giovani dos Santos (México, LA Galaxy)
Kaká (Brasil, Orlando City)
Dax McCarty (EUA, Chicago Fire)
Ignacio Piatti (Argentina, Montreal Impact)
Bastian Schweinsteiger (Alemanha, Chicago Fire)
Diego Valeri (Argentina, Portland Timbers)

Atacantes (5)

Jozy Altidore (EUA, Toronto FC)
Dom Dwyer* (Inglaterra/EUA, Orlando Soccer City)
Sebastian Giovinco (Itália, Toronto FC)
Nemanja Nikolić (Húngria, Chicago Fire)
David Villa (Estapnha, New York City FC)Legendas:

Negrito: Escolhido pelos fans.
Normal: Escolhido pelo treinador.
Asterisco: Escolhido pelo comissário.


Ranque dos times

1.Chicago Fire: 4
2. FC Dallas, Atlanta United FC e Toronto FC 3
3.LA Galaxy e Orlando Soccer City 2
4. Seattle Sounders, Portland Timbers, Colorado Rapids, Houston Dynamo, Sporting Kansas City e New York City FC 1.

Times sem representantes:

Real Salt Lake, San Jose Earthquakes, Minnesota United FC, Vancouver Whitecaps FC, D.C. United, Philadelphia Union, New England Revolution,Columbus Crew SC e New York Red Bulls.

Ranque Nacionalidades

1.Estados Unidos: 12
2. Argentina: 3
3.Holanda: 2
4.Brasil, México, Espanha, Itália, Alemanha, Hungria e Suíça: 1

domingo, 28 de maio de 2017

Estados Unidos vs Venezuela (Amistoso)



Os Estados Unidos vão enfrentar a Venezuela em partida amistosa no dia 3 de junho em preparação para eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, o jogo será realizado no Rio Tinto Stadium; Sandy, Utah. A seleção americana tem um recorde de quatro vitórias em quatro jogos no estádio de Utah. As duas equipes se enfrentaram por quatro vezes, os americanos tem um bom retrospecto com três vitórias e um empate.

A seleção americana se recuperou no Hexagonal Final da CONCACAF desde que Bruce Arena assumiu o comando, mas ainda tem uma longa missão pela frente como a disputa pelo título da Gold Cup de 2017 e para a classificação para Copa do Mundo de 2018, atualmente os americanos ocupam o quarto lugar.

Não há surpresas na lista dos convocados dos Estados Unidos mas Bruce Arena fez uma excelente convocação montado uma equipe muito forte para o amistoso contra Venezuela e para as eliminatórias contra Trinidade e Tobago e México. jogadores como Christian Pulsic, Fabian Johnson e Timmy Chandler se destacaram nesta temporada na Europa.

O técnico da seleção americana chamou jogadores experientes que vão comandar a seleção americana nesses dois jogos decisivos para classificação para Copa do Mundo de 2018. Apenas alguns poucos nomes não agradaram como de Nick Rimando que poderia ser substituído por Tim Melia ou Bill Hamid. Algumas ausências como Sacha Kljestan, Danny Williams que fez uma grande temporada na EFL Championship e Christian Ramirez que fez oito gols em 13 jogos na Major League Soccer mereciam ser convocados.

Convocados

Goleiros (4): Brad Guzan (Atlanta United FC), Ethan Horvath (Club Brugge), Tim Howard (Colorado Rapids), Nick Rimando (Real Salt Lake)

Defesas (11): DaMarcus Beasley (Houston Dynamo), Matt Besler (Sporting Kansas City), John Brooks (Hertha Berlin), Geoff Cameron (Stoke City), Timmy Chandler (Eintracht Frankfurt), Omar Gonzalez (Pachuca), Matt Hedges (FC Dallas), Tim Ream (Fulham), Jorge Villafaña (Santos Laguna), DeAndre Yedlin (Newcastle United), Graham Zusi (Sporting Kansas City)

Meio-campistas (8): Kellyn Acosta (FC Dallas), Paul Arriola (Club Tijuana), Alejandro Bedoya (Philadelphia Union), Michael Bradley (Toronto FC), Fabian Johnson (Borussia Mönchengladbach), Dax McCarty (Chicago Fire), Darlington Nagbe (Portland Timbers), Christian Pulisic (Borussia Dortmund)

Atacantes (4): Jozy Altidore (Toronto FC), Clint Dempsey (Seattle Sounders FC), Jordan Morris (Seattle Sounders FC), Bobby Wood (Hamburg/GER)

*Timmy Chandler cortado por lesão.
*Matt Besler foi cortado a pedido de Peter Vermes.


Curiosidades 

O primeiro jogo entre as duas seleção foi na Copa América de 1993, o jogo terminou empatado por 3a3.

O último jogo entre Estados Unidos e Venezuela foi em 2012, os americanos venceram por 1a0.

Venezuela não faz um gols nos Estados Unidos desde 1993.

Chris Henderson fez o primeiro gol no confronto.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Melhor Onze da Seleção Americana




United States Soccer Federation em comemoração ao centenário em 2013 elegeu o melhor onze da história da seleção masculina e feminina. A seleção foi feita no esquema 4-3-3.


Nome : Briana Scurry
Posição : Goleira
Competições : Copa do Mundo : (4) 1995, 1999, 2003 e 2007. Olimpíadas : (3) 1996, 2000 e 2004.

Briana Scurry é considerada uma das melhores goleiras de todos os tempos, ela conquistou uma Copa do Mundo em 1999 e dois ouros olímpicos em 1996 e em 2004.


Nome : Brandi Chastain
Posição : Lateral Esquerda
Competições : Copa do Mundo : (3) 1991, 1999 e 2003. Olimpíadas : (3) 1996, 2000 e 2004.

A defesa artilheira Brandi Chastain que foi uma das pioneiras no futebol internacional é uma das principais jogadoras dos Estados Unidos. Ela foi duas vezes campeã do mundo e tem duas medalhas de ouro.

Nome : Joy Fawcett
Posição : Lateral Direita
Competições : Copa do Mundo (2) 1991, 1995 e 2003. Olimpíadas : (3) 1996, 2000 e 2004.

Joy Fawcett disputou a Copa do Mundo de 1991 sendo uma das pioneiras da modalidade, ele fez uma carreira importante no futebol sendo uma das principais jogadores dos Estados Unidos.

Nome : Carla Overbeck
Posição : Zagueira
Competições : Copa do Mundo : (3) 1991, 1995, 1999. Olimpíadas : (2) 1996 e 2000.

Carla Overbeck foi uma das pioneiras no futebol feminino sendo umas das jogadores mais importantes dos anos 90. Ela conquistou duas Copas do Mundo e um ouro olímpico.


Nome : Christie Rampone
Posição : Zagueira
Competições : Copa do Mundo (5) 1999, 2003, 2007, 2011 e 2015. Olimpíadas ; (4) 2000, 2004, 2008 e 2012.

Christie Rampone liderou a seleção americana na conquista da terceira Copa do mundo ,ele fez uma carreira vitória defendendo a seleção yankee conquistado duas Copas do Mundo e e três medalhas de ouro em olimpíadas.

Nome : Michelle Akers
Posição : Meia-Campista
Competições : Copa do Mundo (3) 1991, 1995 e 1999. Olimpíadas : (1) 1996.

Michelle Akers fez uma carreira vitoriosa no futebol mundial conquistando duas Copas do mundo e um ouro olímpico.

Nome : Julie Foudy
Posição : Meia-Campista
Competições : Copas do Mundo : (4) 1991, 1995, 1999 e 2003. Olimpíadas : (1996, 2000 e 2004)

Julie Foudy foi uma das mais notáveis jogadores de futebol de todos os tempos, na seleção americana ela conquistou duas Copas do Mundo e duas medalhas de ouro.

Nome : Kristine Lilly
Posição : Meia-Campista
Competições : Copa do Mundo : (5) 1991, 1995, 1999, 2003 e 2007. Olimpíadas ; (3) 1996, 2000 e 2004.

Kristine Lilly é uma das melhores jogadores dos Estados Unidos da história, ela jogou por vinte e três anos na seleção americana conquistando duas Copas do Mundo e uma medalha de ouro nos jogos olímpicos de 2004.


Nome : Mia Hamm
Posição : Atacante
Competições : Copa do Mundo : (4) 1991, 1995, 1999 e 2004. Olimpíadas : (3) 1996, 2000 e 2004.

Considerada a melhor jogadora de sua época e uma das melhores de todos os tempos, Mia Hamm é uma das artilheiras da seleção americana. Ela conquistou duas Copas do Mundos e dois ouros olímpicos.

Atacante : Alex Morgan
Posição : Atacante
Competições : Copa do Mundo (2) 2011 e 2015. Olimpíadas : (2) 2012 e 2016.

 Alex Morgan é a melhor jogadora de sua geração com potencial de ser a melhor de todos os tempos, ela foi uma das lideres na conquista da Copa do Mundo de 2015 e conquistou o outro olímpico em 2012.


Atacante : Abby Wambach
Posição : Atacantes
Competições : Copa do Mundo (2003, 2007, 2011 e 2015). Olimpíadas : (2) 2004 e 2012.

Abby Wambach foi uma das melhores jogadoras de futebol do mundo, defendeu a seleção americana por mais de uma década sendo a maior artilheira dos Estados Unidos. Conquistou uma Copa do Mundo e dois ouros olímpicos.


Análise 

O melhor onze da seleção americana com certeza é a melhor equipe de futebol feminino de todos os tempos. A equipe foi formada por excelentes jogadoras que foram muito importantes na seleção americana e no futebol internacional.

Curiosidade : Sete das escolhidas foram pioneiras no futebol feminino, elas disputaram a primeira Copa do Mundo em 1991 provando o alto nível da competição em sua primeira edição.

Links relacionados :

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2016/03/girls-just-want-to-have-fun.html

http://ussupersoccer.blogspot.com.br/2013/12/votado-os-onze-melhores-nomes-do-us.html

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Conheça o Los Angeles FC



O Los Angeles Football Club ira se afiliar a Major League Soccer em 2018, a equipe da Califórnia será a vigésima terceira franquia da liga. Los Angeles FC vai se juntar ao Los Angeles Galaxy e ao San Jose Earthquakes se tornado a terceira equipe da Califórnia na Major League Soccer e quarta de toda historia da liga, lembrando que o Chivas USA foi fundado em 2004 e extinto em 2014.

O Los Angeles Football Club tem um projeto muito ambicioso na principal liga de soccer nos Estados Unidos. Um deles é a construção de uma moderno estádio especifico para o futebol com capacidade para 22.000 torcedores, o Banc of California Stadium que terá um custo de 250 milhões de dólares.

A equipe da Califórnia ira se afiliar a Major League Soccer em ano de Copa do Mundo, em 2018. O que poderá ser de grande benefício para o Los Angeles Football Club já que o soccer sempre ganha muita visibilidade nos Estados Unidos nos anos de Copas do Mundo. Los Angeles FC com certeza é uma franquia com muito potencial na MLS, uma terceira equipe na Califórnia ira acalorar a rivalidade no estado que é um dos principais mercados da liga.

As cores preto e dourado lembram de outra equipe de soccer dos Estados Unidos, o San Francisco Bay Blackhawks que disputou a American Professional Soccer (APSL) durante o inicio dos ano 90. San Francisco Bay Blackhawks teve uma impressionante corrida na 1992 CONCACAF Champions’ Cup chegando ao quinto round. Muito dos principais jogadores da seleção americana como : Marcelo Balboa, Eric Wynalda, John Doyle, Dominic Kinnear, Paul Bravo e etc jogaram pelo San Francisco Bay Blackhawks.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Ouro em Cuba



Os Jogos Pan Americanos de 1991 foi sediado em Cuba próximo ao fim da União Soviética que estava em colapso por estar passando por problemas econômicos e sofrendo com uma série de revoluções. Uma jovem seleção americana teria o desafio de conquistar seus objetivos em meio de tenções politicas entre Estados Unidos e Cuba que estavam longe de se aproximar diplomaticamente.

A décima primeira edição do futebol nos jogos Pan Americanos teve oito seleções participantes que foram divididos em dois grupos de quatro. Os Estados Unidos caíram no Grupo B junto de Honduras, Canadá e Suriname. O Grupo A era formado por México, Cuba, Haiti e Nicarágua.

No jogo de estreia os americanos venceram Suriname que foi a surpresa do grupo por 1-0, na partida seguinte a seleção yankee vence Honduras, adversário mais forte do grupo por 2-1. No último jogo do grupo os Estados Unidos conquistaram uma boa vitória sobre a seleção canadense por 3-1. Na semi-final os Estados Unidos enfrentou Cuba no jogo mais tenso e importante para ambos os países na competição, a seleção yankee venceu por 2-1 pondo fim no sonho cubano de conquistar a medalha de ouro no futebol. Na disputa pelo ouro a seleção americana surpreendeu o México com uma vitória por 2-1.


Goleiros

Brad Friedel (UCLA Bruins, NCAA)
Kasey Keller (Portland Pilots, NCAA)


Defesas

Rhett Harty (Stanford, NCAA)
Erik Imler (Virginia Cavaliers, NCAA)
Mike Burns (Hartwick College, NCAA)
Alexi Lalas (Rutgers, NCAA)
Mike Lapper (UCLA, NCAA)
Cameron Rast (Santa Clara University, NCAA)
Curt Onalfo (ES La Ciotat, quinta divisão, França)

Meio-Campistas

Manny Lagos (Minnesota Thunder, Independente*)
Yari Allnutt (Portland Pilots, NCAA)
Cobi Jones (UCLA Bruins, NCAA)
Claudio Reyna (Virginia Cavaliers, NCAA)

Atacantes

Joe-Max Moore (UCLA, NCAA)
Dante Washington (Radford, NCAA)
Steve Snow (Standard Liège, Belgian First Division)
Eloy Salgado (Richardson Rockets, United Soccer Leagues)

Treinador : Lothar Osiander

Artilheiros

1.Steve Snow (4)
2.Claudio Reyna (2)
3. Yari Allnutt, Cobi Jones, Joe-Max Moore e Dante Washington (1)


Análise

Os Estados Unidos fez uma excelente campanha nos Jogos Pan Americanos de 1991 conquistando a medalha de ouro de forma invicta, a seleção americana era formada por sua grande maioria por jogadores da National Collegiate Athletic Association. Foi uma geração com muito potencial resultando na formação de jogadores que tiveram sucesso internacionalmente e nacionalmente.

Curiosidades 

As seleções sul-americanas não participara da do torneio dos jogos pan americanos de 1991.

Foi a segunda medalha dos Estados Unidos no futebol masculino, a primeira foi uma medalha de bronze nos jogos pan americanos de 1959.

terça-feira, 4 de abril de 2017

Jonny Walker - A historia não contada





Jonny Walker começou sua carreira no futebol em 1994, ele jogou pelo Louisville Cardinals (NCAA) e Memphis Jackals (USISL) no mesmo ano em que o soccer nos Estados Unidos estava vivenciando um momento muito especial por estar sediando a Copa do Mundo. Em 1996 ano que a Major League Soccer estreou, Jonny Walker foi draftado pelo Dallas Burns e viu o veterano goleiro Mard Dodd assumir a titularidade.

Em busca da titularidade, Walker se transferiu para o Jacksonville Cyclones (A-League) onde mostrou ter um grande potencial ganhando a faixa de capitão, as atuações de Jonny Walker chamaram atenção quando o seu time jogou um amistoso contra uma equipe chilena.


Aventura na América do Sul

Em 1998 o jovem goleiro foi tentar a sorte na América do Sul num dos clubes mais tradicionais do Chile, a Universidad Católica. Como era muito jovem Jonny Walker foi emprestado ao Huachipato e mostrou que não era favas contadas e ser tornou titular da equipe tendo boas atuações.

Após retornar do empréstimo Jonny Walker teve grande destaque se tornando um dos principais jogadores da Universidad Católica e da liga chilena. Em 2002 Jonny Walker conquistou Torneo Apertura com o Universidad Católica.

Jonny Walker foi o primeiro jogador americano a jogar na Copa Libertadores e na Copa Mercosur. ele é o yankee com a carreira de mais sucesso na América do Sul. Além do Universidad Católica, Walker jogou no Colo Colo que é outro time muito tradicional no Chile. O destaque de Jonny Walker no país sul-americano foi tanto que ele chegou a ser cotado para jogar na seleção chilena.

Retorno ao Estados Unidos 

Finalmente em 2003 Jonny Walker chegou a Major League Soccer, principal liga de futebol dos Estados Unidos para jogar pelo Metrostars. Ele rapidamente ganhou popularidade entre os torcedores por ter o mesmo nome de uma famosa marca de whysky escocês e por fazer excelentes jogos. Walker fez uma grande temporada em 2003, ele levou sua equipe aos playoffs da Major League Soccer, a final da Lamar Hunt U.S. Open e no ano seguinte chegaria novamente aos playoffs da MLS.

Em 2005 Jonny Walker foi contrato pelo Columbus Crew, ele teve um bom desempenho pela equipe de Ohio. Disputou dezesseis jogos e sofreu dezoito gols. Nessa temporada ele fez sessante e seis defesas e cinco Clean Sheets com um recorde de seis vitórias, oito derrotas e dois empates.

Na seleção americana Jonny Walker disputou três jogos, todos partidas amistosas. Sua estreia foi contra Dinamarca num empate por 1a1. Em sua segunda partida ele teve grande participação na vitória por 1a0 sobre os maiores rivais dos Estados Unidos, o México. O último jogo de Walker na seleção Yankee foi contra o Haiti num empate por 1a1.

Aposentaria 

Por quatro anos Jonny Walker sofreu com lesões a mais séria em 2006, uma hérnia de disco que resultou numa aposentadoria precoce nesse mesmo ano, ele tinha apenas 28 anos.

Análise

Sem sobram de dúvidas Jonny Walker é um dos jogadores mais interessantes da história do soccer dos Estados Unidos. Sua aventura na América do Sul tendo destaque no Chile e em competições sul-americanas o torna um jogador especial, ele foi um grande goleiro que tinha muito potencial e com certeza poderia ter tido muito sucesso na seleção americana e nas principais ligas do mundo.


Curiosidades

Jonny Walker foi um dos principais jogadores do Universidad Catolica na vitória sobre o Flamengo por 3a1 na Copa Libertadores pelo Grupo 8 em 2002, foi a primeira vitória de um time chileno sobre um time brasileiro no Maracanã.

Jonny Walker usou a camisa número um pelo Mestrostars, número que não era usado desde 2000 na época. Somente Mike Ammann e Tony Meola tinham usado a camisa número um pelo Mestrostars.

Jonny Walker disputou dez jogos na Copa Libertadores, nove pela Universidad Catolica e um pelo Colo Colo.

Jonny Walker disputou dezesseis jogos na Copa Mercosul pela Universidad Catolica.

Jonny Walker tem quatorze Clean Sheets em cinquenta e oito jogos na Major League Soccer.

Jonny Walker tem um Clean Sheet em três jogos pela seleção americana com um recorde de dois empates e uma vitória.

Ele foi goleiro do ano da liga chilena em 2001.

Jonny Walker foi um dos protogonistas que levou o Universidad Católica para segunda fase da Copa Mercosur de 2001, foi a primeira vez que uma equipe chilena chegou na segunda fase no torneio.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Estados Unidos 1x1 Panamá (Eliminatórias para Copa do Mundo 2018)



Em jogo difícil no estádio Rommel Fernández em Panamá City, Estados Unidos empatam com Panamá por 1a1. Os dois gols saíram no primeiro tempo. Os visitantes abriram o placar com Clint Dempsey aos 39 minutos depois de grande jogada individual de Christina Pulisic. Panamá empatou minutos depois com Gabriel Gómez aos 43 minutos após cobrança de lateral que contou com erro de defesa americana.

Estados Unidos terminaram a quarta rodada do Hexagonal Final da CONCACAF em quarto lugar com quatro pontos. Em quatro jogos os americanos tem duas derrotas, uma vitória e um empate com oito gols marcados e sete sofridos. O próximo adversário do U.S. Tema é Trinidade e Tobago que está na lanterna do Hexagonal com uma vitoria e três derrotas em quatro jogos.


Análise do jogo

Estados Unidos não fizeram uma boa partida contra o Panamá pela quarta rodada do Hexagonal final da CONCACAF, mesmo que o fator como visitante tenha tido grande influencia os americanos tiveram muita dificuldade para desenvolver suas jogadas e sofreram com problemas na marcação principalmente pelo lado direito.

Bruce Arena cometeu alguns equívocos na sua formação inicial como escalar Graham Zusi como lateral direito, o jogador do Sporting Kansas City deixou muito espaços pelo seu lado e falhou na marcação. Outro erro foi deixar Kljestan no banco, o meia do New York Red Bull junto de Pulsic é um dos jogadores mais criativos entre os convocados e poderia ter sido uma boa opção para criar jogadas e dar mais qualidade de passe da seleção americana.

Notas :

Tim Howard : Fez um bom jogo, não teve culpa no gol : 7,0.

Jorge Villafaña : Desapontou, não criou muito e também não foi bem defensivamente : 5,5.

Omar González : Não fez uma má partida, foi bem em alguns combates : 6,0.

Tim Ream : Teve culpa no lance do gol, melherou um pouco na defesa no segundo tempo : 5,0.

Graham Zusi : Fez uma péssimo jogo, deixou muitos espaços pela lateral e errou na marcação : 2,0.

Jermaine Jones : Deixou o time lento no meio-campo : 6,0.

Michael  Bradley : Foi vencido pela marcação, podia ter criado mais : 6,0.

Darlington Nagbe : Foi muito pouco criativo : 5,0.

Christian Pulisic : Foi bem aguerrido, fez uma assistência mostrando toda sua técnica : 7,0.

Clint Dempsey : Só teve o trabalho de empurrar a bola para gol, depois disso mais nada : 6,5.

Jozy Altidore : Parecia um fantasma em campo : 2,5.

Alejandro Bedoya : Entrou no segundo tempo e não acrescentou nada de relevante : 5,5.

Kellyn Acosta : Entrou final do jogo, pouco pode fazer : 6,0.

Paul Arriola : Entrou no fim do jogo com alguma disposição : 6,0.

Bruce Arena : Errou na formação da equipe do qual não fez um bom jogo, suas substituições não surtiram efeito : 5,0.

Panamá : Foi melhor na partida, merecia vencer, pecou na concretização das jogadas.

Arbitragem : Foi bem.

Curiosidades 

A primeira vez que as duas equipes se enfrentaram foi na Gold Cup de 1993, os americanos vencer por 2a1.

A maior vitórias dos Estados Unidos contra Panamá aconteceu em 2004 pelas eliminatórias para Copa do Mundo de 2006, os americanos venceram os panamenhos por 6a0.

Os Estados Unidos perderam para o Panamá pela primeira vez na Gold Cup de 2011 por 2a1.

Na Gold Cup de 2015 os americanos foram eliminados por Panamá nos pênaltis.

Os americanos estão invictos jogando no estádio Rommel Fernandez.

Eric Wynalda marcou o primeiro gol pelo Estados Unidos no confronto contra Panamá.

Pércival Piggott marcou o primeiro gol no confronto entre as duas equipes.

Walker Zimmerman, Nick Rimando, David Bingham, Dax McCarty e Chris Wondolowski nunca disputaram jogos pela seleção americana em eliminatórias

Estados Unidos conquistou a Gold Cup de 2005 derrotando Panamá nos pênaltis.

Tim Howard se tornou o oitavo jogador que mais (113) jogou pela seleção americana.

Clint Dempsey marcou seu quinquagésimo sexto gol pela seleção americana, ele pode igualar o numero de gols de Landon Donovan que tem 57 gols pelo U.S. Team.

Os americanos continuaram com sua invencibilidade jogando no Panamá com um recorde de : três vitórias e três empates.

link :

http://matchcenter.mlssoccer.com/matchcenter/2017-03-28-panama-vs-us-mens-national-team/recap